sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo

Tenho algo a dizer. E direi não com mãos de chumbo. Algo a dizer entre um turbilhão de emoções.
Porque foi um ano das significações. Onde cada um buscou dentro de si a verdade, que magestosamente, lhe indicou um rumo a seguir.
Vi silêncio onde ninguém dizia verdades. Ouvi palavras que todos discutiam sem pensar. Senti o caos, imaginei a verve. Mastiguei ingratidões para depois, cuspir tudo em um chão repleto de flores. E chorei. E ri. Tudo em dias anônimos e nas horas mais certas que poderia haver. Um ano em que aprendi como ser simples diante do profundo mistério que é ser um homem.
A vida assim, jogada ao movimento dos ventos, que ninguém controla, nem pode parar. A vida intensa, como um desejo persistente, que por não encontrar escoadouro, voltasse toda sua lassidão, para dentro de si mesmo.
A vida revoltosa. Espelho da dor e do consolo. A vida dos outros e da morte.
A vida.
E o que é a vida ? Sim, a pergunta quer cair das nunvens acinzentadas. a pergunta que todos respondem de modo particular, mas que de qualquer forma, são mais iguais do que parecem ser.
O que é a vida ? Para mim ? Para você ?
Por que todos pensam mais nela quando o ano está terminando ?
Gosto de pensar que é porque podemos sonhar com um começo. Sim. Sonhar com um 2011 onde teremos mais certeza de quem somos. Uma certeza que devia brotar de dentro do coração e que nos dissesse para mudar. Uma certeza que nos levasse a amar o velho, com desejo novo.
Uma certeza que nos fizesse parar realmente no dia 1 de Janeiro; parar para ver, com olhos de quem recuperasse a visão, depois de muitos anos, e alegre, dissesse para todos que encontrasse no caminho, o que está vendo.
Eu não sei para onde vamos, nem o que vai ser de nós.
Mas se pudesse aconselhar alguém, que por um acaso, quisesse um conselho para esse fim de ano, eu diria : deixe passar.
Tente de novo. Não desista.
E nunca, mais nunca mesmo, diga : Feliz Ano Novo, sem o desejar realmente.
*aqui vão os votos de Angélica Medeiros, que como vocês, espera confiante, o futuro que já vem chegando.

Angélica Medeiros, 17.12.2010

Um comentário:

Rodrigo Eto. disse...

Bem para mim a vida, um sentido filosófico é uma travessia difícil cheia de obstáculos e batalhas, mas no caminho revela-se ao persistente, que soube procurar o conhecimento e a sabedoria na travessia, o maior tesouro de nossa existência: o autoconhecimento, pois se conhece as si mesmo e conhece o mundo, não precisara temer á travessia.
Esta definição de vida não é só minha...
Feliz 2011!!!!!